http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

Wacken Open Air: como é acampar no maior festival de metal do mundo

Esta semana começa a 28º edição do maior festival de metal do planeta, o Wacken Open Air. O festival acontece anualmente, durante 4 dias no auge do verão europeu na vila de Wacken a aproximadamente 75km de Hamburg-Alemanha.

Foto divulgação: Fonte: http://www.wacken.com/en/

Participei da última edição do evento e ressalto algumas de suas dimensões:

  • Público: cerca de 75.000

  • Shows: cerca de 130 bandas divididas em 8 palcos

  • Área interna do festival: 2,2K km2

  • Gastronomia: cerca de 100 pontos de alimentação (a partir desse ano o festival contará com um “cervejoduto” de 7km!)

  • Toilets: cerca de 420 áreas para banho e 800 banheiros espalhados por todo festival e pela área de camping

  • Água: cerca de 40 pontos de água potável

  • Shopping: cerca de 300 lojas

  • População local: cerca de 1.850 pessoas e 4.000 cabeças de gado (sim)

  • Equipe: tudo isso funciona com suporte de uma equipe de aproximadamente 5.000 pessoas

A jornada tem inicio um ano antes, logo nos últimos minutos do evento já são anunciados nos telões alguns dos headliners do próximo ano e 2 dias depois inicia-se a concorrida venda de ingressos pelo site metaltix.com, que costumam esgotar nas primeiras semanas, por vezes até dias. Se você pretende ir, este é um ponto para se preocupar. Porém, existe uma lista oficial de espera do qual muitos ingressos de desistência costumam ser disponibilizados no site de vendas, o que é bem normal se tratando de um evento que recebe headbangers – metaleiros – do mundo inteiro que precisam se planejar com 1 ano de antecedência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A experiência de ir a eventos como este vai muito além de apenas assistir os shows. Mas.. não se iluda! você não vai conseguir assistir aos 130 shows, pois são praticamente 6 shows simultâneos. Em um ritmo muito frenético eu vi 36 shows. Durante o período de espera entre a compra do ingresso e o festival, serão alguns meses acompanhando o anúncio das 130 bandas, garimpando o spotify para conhecê-las, planejando a viagem (passagens e quem sabe uma viagem pré-wacken –no meu caso fui para a Bavaria), lendo muitos fóruns, vídeos do Youtube, grupos de whatsapp e por ai vai…

Via Hamburgo é a forma mais natural e rápida de chegar à Wacken e, em minha opinião, a melhor maneira de se fazer isso é utilizando o Metal Bus. Este é um meio exclusivo de transporte para o festival do qual você pode agendar a data/horário de chegada e saída que melhor se adapte ao seu planejamento. Os ônibus partem de meia em meia hora de dois pontos distintos de Hamburgo, da central Hauptbahnhof ou da Remedy Records em Stellingen. Outra opção é ir de trem até a cidade vizinha de Itzhoe e de lá, pegar um ônibus para Wacken (aproximadamente 20 minutos).

Como Wacken é uma vila minúscula, praticamente uma rua, não possui estrutura hoteleira. Os hotéis mais próximos ficam em Itzhoe, porém o último ônibus que sai de Wacken é o das 23:30, enquanto o último show do dia termina geralmente próximo das 02:00 da madrugada. Para aproveitar 100% a experiência, não apenas dos shows, mas de toda convivência no festival, o mais recomendado por mim e talvez por quase todos os headbangers é utilizar o camping. A enorme área gramada fica junto à vila e a entrada do festival é muito bem sinalizada e com uma excelente infraestrutura de suporte com banheiros, duchas, água potável, supermercados, tenda suporte para acessibilidade serviços sociais e assistência médica, cofres e para quem ainda tiver tempo de se conectar uma zona de wi-fi e torres de energia.

A área de camping (Camping Site) é dividida em zonas, mas nenhuma área é restrita. Qualquer lugar é possível chegar, montar sua barraca ou estacionar seu carro/campervan. Como é uma área muito grande o mais recomendável é se instalar pelas zonas mais próximas as entradas do festival (são 2). Eu levei uma barraca e aluguei alguns acessórios pela empresa Zeltheld. Achei mais prático, pois tudo já fica preparado antes da sua chegada em uma das melhores áreas do camping.

De alguns anos pra cá, o número de brasileiros que vão ao Wacken só cresce. Ano passado foi a primeira vez que fui ao festival e, em uma das minhas pesquisas em fóruns, acabei entrando em um de vários grupos de whatsapp só de brasileiros que também iriam. Lá, descobri que muitos iriam acampar pela Zeltheld e uma área chamada PORCO WESGO seria reservada exclusivamente só para os brasileiros. Nota: entrar neste grupo foi uma das decisões mais acertadas dessa jornada, pois lá conheci muita gente legal e veterana neste festival com quem aprendi muito.

Após resolver o assunto camping, é hora de realizar o check-in no festival. Com ingresso em mãos, que é enviado por correios para o Brasil, você deve se dirigir a uma das entradas e resgatar o seu kit sobrevivência Wacken. Ele consiste em uma bolsa personalizada do evento contendo a sua pulseira de acesso ao festival, um guia com o mapa, cantil para água, capa de chuva, band-aid, camisinhas (!) e algumas outras coisas. Após uma vistoria de segurança, você já terá acesso a grandiosa área do festival, chamada de Holy Wacken Land. Lá dentro, basicamente tudo esta dividido da seguinte forma:

* Wacken Plaza: neste local acontecem alguns pequenos shows de madrugada, karaokê, lutas de wrestling e possui 3 palcos, sendo dois menores a céu aberto (W:E:T e Headbanger Stage) e um maior que fica em uma estrutura de lona (Bullhead Circus).

* Wackinger Village: É uma vila temática Viking. Toda grosseria gastronômica pode ser encontrada por lá, além do famoso hidromel. Nesta área também estão localizados mais 2 palcos, o Wackinger e o Wasteland Stage.

* Metal Market: Uma versão gringa da galeria do rock e várias outras coisas legais, como por exemplo uma cozinha em que você pode ter uma aula de culinária com o membro de alguma banda. Eu por exemplo tive uma aula de falafel com Kobi Farhi da Orphaned Land.

* Infield: É a principal área de shows. É lá que sobem os headliners no palco Louder e nos monstruosos Faster e Harder Stage.

Como já mencionado, muitos shows ocorrem simultaneamente e os palcos não são tão próximos assim. Uma caminhada entre o Louder e o Circus, por exemplo, pode durar uns 20 minutos, portanto é muito importante ter uma ideia dos horários dos shows e já ter planejado a sua running order. Para ajudar com esse planejamento o Wacken disponibiliza um excelente aplicativo (Android e IOS), onde você pode encontrar todos os horários, mapas, lista com as bandas, possibilidade de montar facilmente sua runnning order e imprimi-la se for o caso. Caso o show de uma banda esteja marcada na sua lista, ele te alertará com 15 minutos de antecedência.

Também merece destaque a vida fora do festival. É divertidíssimo descansar um pouco dos shows e ficar pela vila ou no camping site. No camping você pode relaxar na sua barraca, fazer um churrasco com seu grupo, fiquei muito com a galera da Brazilian Great Molejo’s Embassy. Ou você pode simplesmente dar um passeio pelas outras zonas e fazer amizade com as pessoas mais loucas do mundo (histórias intermináveis!). Na vila, a movimentação é muito boa também. É lá que você encontra as cervejas mais baratas da região (1,00 EU). Se estiver muito quente, você também pode dar um pulo no clube da cidade para tomar um belo banho de piscina.

Um ponto de atenção para sua viagem é acompanhar como estará o clima por lá. Como é verão, geralmente está bem quente, porém pode chover muito. Em 2016 por exemplo, peguei chuva, sol, frio, calor e muita, MUITA lama (neste caso é EXTRETAMENTE necessário você levar ou comprar por lá um galocha). Em 2015 não choveu, portanto não houve lama, mas sim muita poeira (de dar inveja ao rock in rio 3).

Para qualquer headbanger, ir ao Wacken é um grande sonho, que realizei graças a Thaís que me incentivou muito. Wacken é muito mais do que um festival, é uma grande experiência onde você se diverte, faz amigos de toda parte do mundo, aprende sobre inúmeras culturas, bate muita cabeça e volta com um puta zumbido no ouvido. Em 2019, o evento fará 30 anos e o Viagem em Cena estará novamente por lá, não é Thaís?

Wellington Contaifer

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...