http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

Conhecer o deserto mais árido do mundo é mesmo uma grande mudança de hábitos e sensações. E saliento essa experiência no Atacama pelo fato de tê-lo conhecido em um mês de junho não muito usual em termos climáticos. Foi realmente um choque para mim enfrentar temperaturas abaixo de zero nesta viagem. Já senti muito frio em outros lugares do mundo, mas lá foi diferente. O ar extremamente seco, o vento gelado que rachava meus lábios e a altitude deixaram a situação mais intensa.

São Pedro de Atacama

Atacama

Mas ainda assim, consegui aproveitar as belas paisagens do Atacama e me diverti muito. Foram quatro dias em São Pedro junto com meu marido. De lá fizemos alguns passeios e curti a pequena e tranquila vila, abrigo para muitos mochileiros. Reservamos os day-trips no próprio albergue em que ficamos, o Hostal Campo Base. A recomendação é sempre organizar o roteiro de acordo com a altitude, primeiro os lugares mais baixos para ir se acostumando e não sofrer com a respiração.

Logo no primeiro dia, depois de viajar de Santiago à São Pedro, passando por Calama, fizemos o passeio Vale da lua, seguindo a recomendação do recepcionista do albergue. O passeio saiu às quinze horas e terminou às dezenove. É possível ir também de bicicleta, mas achei melhor comprar o passeio, pois estávamos cansados da viagem.

Vale de la Luna

O tour de quatro horas incluiu uma caminhada no Valle de la luna e no Valle de la Muerte (Este último, curiosamente, segundo a nossa guia, tem este nome por um equívoco de alguma criatura bem desligada. O certo seria nomeá-lo como Vale de Marte, por seus tons de vermelho, mas por causa da semelhança entre as palavras muerte e marte, entenderam errado e ficou assim mesmo), uma parada no mirante para a Cordillera de la Sal, onde estão os dois vales, outra parada nas estátuas das três Marias (uma delas está parcialmente quebrada em razão da maluquice de uma turista que quis tirar foto pendurada nela) e uma subida na duna que fica localizada na área central dos vales para apreciar o pôr do sol.

Vale de la Luna

Vale de la Luna

Todos os pontos são muito bonitos, as paisagens são muito peculiares e inóspitas. Devido à aridez, não há vida, nem vegetal, nem animal. E, apesar disso, toda a área é belíssima. O que, há milhares de anos, era um grande lago, se transformou um um deserto com lindas esculturas formadas pela ação do vento e das chuvas. Tudo isso a 2550 metros acima do nível do mar. A subida até as dunas, dura de 20 a 30 minutos, dependendo da sua disposição. E o esforço é todo compensado pelo espetáculo que você vivencia protagonizado pelo sol. Momento de paz, reflexão e de muito agradecimento por estar ali, naquele momento especial.

Vale de la Luna

Sal no Atacama

Vale de la Muerte

Pôr do sol no Atacama

Três Marias

Atacama

À noite, fomos ver as estrelas e os planetas em um incrível tour astronômico com a ajuda de três telescópios e um guia que explica todos os detalhes. Afinal, a região do Atacama é famosa por possibilitar a visão de inúmeras e super brilhantes estrelas. A partida estava marcada para às 20:30, mas há uma outra opção de horário, às 22:00. O ponto de observação é bem pertinho do centro de São Pedro, mas a agência faz o trajeto de carro até lá.

O frio à noite é ainda mais cruel. E como o passeio é ao ar livre, sofri um bocado para aguentar até o final. Nem mesmo meus casacos, o vinho e o chocolate quente que a agência oferece foram suficientes para me aquecer. Mas valeu muito a pena. Para quem tem o mínimo de curiosidade e simpatia por astronomia, é realmente uma experiência enriquecedora. O guia explica tudo pacientemente e configura os telescópios com muita destreza para que todos possam admirar as estrelas, constelações, a lua, e até mesmo saturno com seus visíveis anéis. Passeio lindo!

Tour Astronômico

Impossível tirar uma foto decente no tour astronômico. Muito escuro!

Reservamos também um dia inteiro para aproveitarmos com calma a pequena vila de São Pedro. Para isso, alugamos bicicletas e percorremos alguns lugares turísticos e não turísticos. Foi ótimo porque tive a oportunidade de conhecer o modo de vida da população local mesmo. Saindo da área central onde ficam a grande maioria dos hotéis e restaurantes as construções são residenciais e o comércio é para atender aos moradores. Então aproveitamos para ir com as bikes até lá. Por entre um a rua e outra, ouvimos um morador tocar sua flauta para sua família assistindo o sol se pôr, vimos as crianças brincarem, os cachorros correrem e aproveitamos para comprar algumas comidinhas com preço menor em uma pequena mercearia.

Bicicleta no Atacama

Bicicleta no Atacama

Na região turística, as compras não são tão econômicas, mas é possível achar belos artesanatos e agasalhos típicos, feitos com lã e pelos de lhamas. Uma dica legal é conhecer o museu arqueológico Gustavo Le Paige que conta a história do Atacama de forma bastante didática, com utensílios, ferramentas, fotos, dentre outros objetos. Funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados das 10h às 18h.

Museu Gustavo Le Paige

Informações Importantes

Valores: O tour Valle de la Luna foi realizado pela agência Desert Adventure e custou 8.000 pesos chilenos, equivalente a R$36,90 por pessoa. No entanto, é preciso pagar as entradas separadamente no valor de 2.000 pesos chilenos, ou R$9.23 – não me pergunte o porquê disso, achei bem surreal não incluir o valor já no pacote. Comprando quatro passeios você ganha uma desconto para aliviar um pouco o bolso.

Já o tour Astronômico eu fiz com a agência Yalcana Expediciones. O valor por pessoa foi 14.000 pesos chilenos, em reais 64,00. Achei bem caro, mas compensou. Isso porque eu pechinchei também, o valor real era 15.000 pesos chilenos, não teve muita diferença.

Permanência: Sugiro ficar uns quatro dias ou mais. Há muito o que ver e é legal aproveitar com calma.

Kit sobrevivência:  Não deixe de levar protetor solar, óculos escuros e agasalhos. Mesmo indo no verão, é possível que você sinta frio por causa da altitude. Beba muita água também, o tempo todo. Além disso leve hidratantes corporal e labial. A região é muito seca e danifica muito a pele. Como eu esquecia de beber água por causa do frio, voltei com as mãos e os lábios todos rachados e com pontos de sangramento.

Roupas: Bem confortáveis. O passeio ao Valle de la Luna inclui caminhadas e uma subida bem íngreme até o alto das dunas.

Restaurantes: Indico o restaurante Ckunna e o El Toconar. Não são luxuosos, mas gostei da comida, simples, típica e barata.

 Hotéis em São Pedro de Atacama

 

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...