http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

Rotorua é uma cidade pacata localizada a 228 km de Auckland. Por toda a parte é comum sentir cheiro de ovo cozido, devido às atividades geotermais que exalam essa fragrância no ar. Mas, não se assuste! Apesar de não ter o melhor cheiro do mundo, Rotorua foi uma das cidades que mais gostei da Nova Zelândia. Clima agradável, atividades culturais e de aventura, muitas vilas Maori, pessoas simpáticas, possível ponto de partida para Hobbiton e Waitomo, etc, etc.

Rotorua

Rotorua

Minha primeira parada em Rotorua foi nas vilas Te Puia e Whakarewarewa, veja post sobre as vilas aqui. Talvez seja por isso que gostei logo e me empolguei. As vilas são muito bem cuidadas e há uma preocupação em esclarecer as caraterísticas culturais de seus habitantes. Mas fora das vilas, também é bem comum vê-los, por toda a parte. Uma característica de fácil reconhecimento dos Maori é a tatuagem, geralmente no rosto.

E além das vilas Maori há ainda várias atividades de aventura. Existem diversas empresas que promovem passeios de jetboat e rafting, principalmente no rio Kaituna, onde há uma grande queda d`água. Ele fica fora de Rotorua, mas no pacote que as empresas vendem o transporte já está incluso. Mas, opções que proporcionam o contato com a natureza, porém de forma mais tranquila, também são bem cotadas por lá. Um dos lugares mais lindos da região, por exemplo, é o parque de Wai-o-Tapu.

Wai-o-Tapu

São apenas 20 minutos de carro de Rotorua e, posso dizer que vale muito a pena, pois o local é maravilhoso. Comprei o transfer no I-Site de Rotorua, um centro de informação e reserva de serviços. A entrada comprei por lá mesmo, porque tinha desconto, mas poderia ter comprado também no próprio I-Site. Pouco antes da entrada de Wai-O-Tapu, a primeira parada é na maior piscina de lama de Rotorua, simplesmente o máximo. Achei o visual bem diferente e lindo. Era como um grande caldeirão da bruxa má.

Mud Pool - Piscina de lama

Depois da piscina super quente de lama, a parada foi no Geyser Lady Knox. Ele entra em erupção sempre às 10:15am porque é forçado para isso. Achei essa parte bem chata, para ser sincera. É como um programa bobo de televisão de domingo à tarde. Uma pessoa chega, anima a platéia, conta a história do surgimento do gêiser falso, joga um tipo de sal especial e pronto, o espetáculo começa. Confesso que é até bonito ver o gêiser chegando a 20 metros de altura por alguns minutos consecutivos, mas é algo muito artificial, não gostei não.

Gêiser Lady Knox

O lado bom é que foi rápido e logo pude conhecer o parque. Ele possui três trilhas de fácil circulação, preparadas para qualquer tipo de pessoa, uma completa e as outras duas cortando caminho para durarem menos. A mais longa envolve todo a área de visitação do parque e dura aproximadamente uma hora e meia. As outras levam de 40 a 50 minutos de caminhada. Todas, no entanto, são complementares. As mais curtas englobam menos atrativos, mas o caminho principal é o mesmo. Você pode ficar mais tempo também, você é quem decide.

Wai-O-Tapu

Wai-O-Tapu

Wai-O-Tapu

O parque está localizado em uma área vulcânica, com atividades geotermais que deixam as águas muito quentes, até 100ºC. Os lagos também possuem colorações distintas, devido aos diversos minerais, enxofre e até mesmo alguns tipos de bactérias que se misturam às águas. É o que dá a beleza peculiar de Wai-O-Tapu, os diversos tons integrados à uma belíssima floresta. O lugar é tão bonito que fiquei com vontade de ficar ali durante horas.

Wai-O-Tapu

Wai-O-Tapu

Voltando à Rotorua, uma dica de passeio cultural é o museu da cidade. Só a arquitetura já é um charme, mas o acervo também é muito elucidativo e organizado, obviamente contando muito sobre a influência Maori na região. Há ainda a feirinha noturna, com iguarias deliciosas de diversos países; uma galeria linda de arte; lojas de jóias Maori e também bons restaurantes de diversos gostos. Um que curti muito e recomendo é o Fat Dog Café. Moderninho e com pratos maravilhosos, só não muito baratos.

Museu de Rotorua Rotorua

Galeria de arte em Rotorua

Rotorua Rotorua

E para relaxar depois de tantas atrações, nada melhor que curtir um bom banho termal no Polynesian Spa, especialmente quando se visita Roturua no inverno. São diversas piscinas com temperaturas diferentes que relaxam qualquer estressado de plantão. De 36 à 42 ºC, há piscinas ao ar livre que te permitem apreciar o ambiente adorável de lá. Algumas pedras, plantas e, ao fundo, o grande lago de Rotorua. Um dia de rainha, sem dúvida. O Polynesian Spa também oferece massagens e tratamentos variados para quem desejar ampliar a sensação de relaxamento. E uma grande loja com diversos produtos naturais da região, simplesmente amei muito.

Polynesian Spa Polynesian Spa loja

Gostaria de ter ficado mais tempo em Rotorua. Certamente são muitas opções de atividades de lazer que se encaixam muito no meu perfil de viajante. Contudo, infelizmente o tempo é curto e tive que seguir viagem.  Mas a cidade é tão legal que só de andar, sem compromisso, e apreciar o visual já é uma experiência maravilhosa. Recomendo você considerar incluir Rotorua no seu roteiro à Nova Zelândia, não irá se arrepender.

Rotorua

Informações importantes:

Ingressos: A entrada de Wai-O-Tapu custa NZ32,50 ou aproximadamente R$61,07. O horário de funcionamento é de 08:30 às 17:00, sendo a última entrada às 15:45, sete dias por semana. A entrada do museu de Rotorua custa  NZ 20,00 ou R$37,58. Aberto diariamente, na temporada de dezembro à fevereiro, de 09:00 às 18:00. De Março à novembro, abre às 09:00 e fecha às 17:00. Para o banho termal, consulte o site, há diversos tipos de banho, o que fiz foi o de NZ45,00 ou aproximadamente R$87,00. O local funciona diariamente de 08:00 às 23:00, sendo a última entrada às 22:15. Para tratamentos e massagens, o último horário é às 19:00.

Hotel: Fiquei no albergue Oasis Hostel, em quarto duplo. Simples, porém atendeu bem nossas necessidades.

Tempo de permanência: Sugiro três ou quatro dias. Há várias atrações na cidade e nos arredores.

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  • Oi,Thaís. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Boia – Natalie

  • Que legal Natalie! Obrigada!

  • Ralph P. A. Glória

    Oi Thais, uma pergunta: O transfer para o Wai o Tapu voce comprou neste site que indicou? Ou comprou na hora em Rotorua?

  • thais_unirio

    Oi, Ralph. Comprei lá na hora mesmo. O I-Site é um local, um posto de informações de Rotorua. Lá você pode comprar o transfer ou fazer pelo site também, se preferir.

  • Ralph P. A. Glória

    Entendi. Muito obrigado 🙂