http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

De favela tour o Rio de Janeiro está cheio, não é mesmo? Desde o surgimento deste tipo de passeio na gigante Rocinha no início da década de 90, muitas outras favelas seguiram a ideia e desenvolveram o turismo de formas diferenciadas de acordo com a história e realidade de cada uma delas. Só que no caso das favelas Cantagalo e Pavão – Pavãozinho, há uma diferença que muda bastante o conceito dessas visitas. Como uma proposta criativa que partiu de alguns moradores das próprias comunidades, foi criado o Museu de Favela.

Museu de Favela

Museu de Favela

Após subir pelo elevador panorâmico com entrada na estação de metrô General Osório, em Ipanema, e admirar a vista incrível da cidade, percorri as vielas da comunidade acompanhada pelos guias Valquíria e Sidney e pela blogueira Cristiane Rangel. O museu de favela, na verdade,  trata-se de um museu de percurso, tipo semelhante ao Museu Vivo de São Bento,  sobre o qual escrevi anteriormente. Nesse tipo de museu, a visitação é a céu aberto e o acervo foge da ideia tradicionalmente conhecida, podendo ser as próprias casas dos moradores, como é o caso do Museu de Favela. Só que estas casas não são simples casas. Elas retratam a história e cultura das comunidades através de pinturas nas fachadas que fazem parte do circuito das casas-tela. Os artistas são os moradores, os guias também. Mas o projeto recebe ajuda de diversas instituições, nacionais e internacionais, cada uma interferindo de uma forma. Seja no planejamento turístico, seja na gestão administrativa ou no ensino de algumas técnicas de pintura aos artistas locais.

Museu de Favela

Museu de Favela

Museu de Favela

O apoio financeiro vem dos editais de cultura do governo, mas não são suficientes. Por isso há a cobrança dos ingressos, R$60,00 para brasileiros e visitantes do Mercosul e R$100,00 para estrangeiros. Valor que achei até elevado, mas que é importante para o investimento local. Eles recebem turistas nacionais e estrangeiros e também escolas. Mas, ultimamente a procura diminuiu bastante devido ao medo da violência que se alastrou em função da morte do dançarino DG, ex participante do programa global Esquenta.  Segundo a guia Valquíria, o fato não se repete com frequência e os moradores mantém suas rotinas normais após este crime que teve tanta repercussão. E, sinceramente, me senti bastante segura. Talvez pela hospitalidade dos moradores e pelo clima tranquilo que presenciei. Fui muito bem acolhida.

Museu de Favela

Museu de Favela

Museu de Favela

O passeio dura cerca de três horas e proporciona ao visitante admirar a belíssima produção artística que exprime muito sobre o que é a favela e como o morador se encaixa nesse contexto. No caminho, há diversos mirantes onde é possível visualizar os contrastes espaciais da nossa cidade maravilhosa, espaços de reflexão sobre segregação e exclusão social, onde os contrastes urbanos são bastante perceptíveis. Na favela, o lixo não é recolhido apropriadamente e algumas moradias ainda são muito precárias. O Estado ainda não é muito presente, mesmo depois da instalação da Unidade de Polícia Pacificadora – UPP.

UPP Cantagalo

Museu de Favela

Museu de Favela

Museu de Favela

Museu de Favela

O tour no Museu de Favela é então um grande aprendizado sobre a cultura e história da favela, até mesmo para os próprios moradores. O convívio, um pouco mais coletivizado, em que os vizinhos se conhecem e as crianças ainda brincam nas ruas. O processo histórico de constituição das comunidades, as dificuldades, as alegrias. O turismo se faz presente como atividade motivada pela curiosidade e pelo intercâmbio de culturas, onde a pobreza não é o atrativo, mas também faz parte do cenário sem a maquiagem comumente utilizada nos atrativos mais tradicionais.

Lojinha do Museu de Favela

Lojinha do Museu de Favela

Para visitar, é preciso agendar antes através do e-mail: querovisitar@museudefavela.org

Leia também o relato da Cris, do blog Pequeno Grande Mundo, que curtiu comigo esse passeio no Museu de Favela do Pavão-Pavãozinho.

* Agradeço à Camila Moraes e ao Museu de Favela pelo convite para participar gratuitamente do passeio e pelo lindo livro do circuito Casas-Tela que ganhei de presente.

Livro Museu de Favela. Foto divulgação do museu.

Livro Museu de Favela. Foto divulgação do museu.

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...