http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

Visitei Cataguases com o objetivo maior de apresentar um artigo em um importante congresso de turismo e arquitetura que estava em sua segunda edição. E acabei me surpreendendo com a pequena cidade da Zona da Mata de Minas Gerais, que fica a aproximadamente quatro horas do Rio de Janeiro. Um lugar tranquilo, com pessoas bastante agradáveis, uma bela vegetação característica e palco de diversas obras da arquitetura modernista do século 20.

Nova igreja de Santa Rita de Cássia - Cataguases

Nova igreja de Santa Rita de Cássia – Cataguases

O crescimento de Cataguases se iniciou ainda no século XIX, no período de fundação da igreja em homenagem à Santa Rita de Cássia. Hoje se divide nos distritos de Cataguases, Aracati, Cataguarino, Glória, Sereno e Vista Alegre. A criação da Companhia Estrada de Ferro Leopoldina foi fundamental para a urbanização das áreas próximas às estações, provocando um fluxo migratório do campo para a cidade que se formava.

Estação Ferroviária de Cataguases

Estação Ferroviária de Cataguases

Já no século XX, a industrialização se desenvolve na cidade e passa a ser mais intensa que a produção cafeeira. Mas, o que chama mais a atenção em Cataguases, é que no período de 40 a 50, a produção cultural e arquitetônica ganha grande destaque devido a afamados nomes da arquitetura moderna. Este era um período da nossa história em que o pensamento modernista, com suas características funcionais, ganha força em todo o país. No entanto, poucos lugares como Cataguases viveram essa transformação de fato.

Cataguases

O que se sugere é que a proximidade com o Rio de Janeiro, a existência da ferrovia e a influência de jovens intelectuais possibilitaram Cataguases se transformar no espaço ideal para o desenvolvimento de um núcleo da arquitetura modernista. A família Peixoto, proprietária de indústrias têxteis na região,  foi uma das responsáveis por essa transformação na cidade, pois financiou diversas obras modernistas, incluindo residências. Mas foi a partir de trabalhos de nomes como do arquiteto Oscar Niemeyer e do artista plástico Cândido Portinari que Cataguases se destacou nacionalmente no cenário artístico e arquitetônico do país.

Monumento à José Inácio Peixoto - painel Cândido Portinari

Monumento à José Inácio Peixoto – painel Cândido Portinari

E é por toda essa riqueza cultural e histórica que a cidade abriga, que o congresso incluiu em sua programação uma visita técnica pela cidade. Afinal, não tinha como voltar para o Rio de Janeiro sem conhecer um pouco dessas belezas. Foi então que conheci junto ao grupo, de maioria arquitetos, diversos monumentos arquitetônicos e obras de arte maravilhosas. Como exemplo, o Colégio Cataguases, de Oscar Niemeyer e paisagismo de Burle Marx, hoje uma escola estadual; a igreja Matriz Santa Rita de Cássia, com suas curvas peculiares que se evidencia perante a praça da cidade e substituiu a antiga igreja de estilo neogótico; o hotel Cataguases, obra de Jan Zack que faz divisa com o rio Pomba; ou ainda o monumento à José Inácio Peixoto, fruto de uma iniciativa de operários e com um lindo painel de Cândido Portinari.

Colégio Cataguases

Colégio Cataguases

Colégio Cataguases

Colégio Cataguases

Por todos os lugares que se ande em Cataguases é possível avistar grandes obras desse período. Mas, como o grupo do passeio era formado essencialmente por arquitetos, entendi que, infelizmente, muitos desses monumentos sofreram grandes modificações. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, tombou alguns monumentos de Cataguases, porém diversos outros estabelecimentos de igual importância histórica e artística não foram protegidos e já se encontram bastante descaracterizados, uma grande perda na visão dos arquitetos.

Hotel Cataguases - tombado pelo IPHAN

Hotel Cataguases – tombado pelo IPHAN

Além desse passeio voltado para a arquitetura da cidade, Cataguases também oferece atrações mais próximas ao seu verde. São diversas cachoeiras para aliviar o calor intenso que faz na região, e também um horto florestal. Outras opções culturais do local são a feira de artesanato na praça Santa Rita, que ocorre aos domingos pela manhã e a estação ferroviária histórica que atualmente recebe trens exclusivos de carga. Só tome cuidado, pois não há proteção em torno da ferrovia e já houve alguns casos de atropelamento.

Cataguases

Informações Importantes

Como chegar: Do Rio de Janeiro (cidade com aeroporto mais próxima), é possível ir de carro pela rodovia que vai para Teresópolis. Você segue por Além Paraíba e depois em direção à Leopoldina. BR 116 e 120. De ônibus, a opção é com a viação Rio Doce que cobra cerca de R$48,00 o trajeto.

Hotel: Fiquei no Hotel Cataguases. Além de lindo, tem boas tarifas, bom atendimento e é uma referência histórica da cidade. Há também diversas outras opções, como o Hotel Bela Vista, o Bevile, dentre outros.

Custo: Achei o local, em geral, muito barato. Especialmente para quem mora no Rio e está acostumado com os preços altíssimos. Em cada refeição eu gastei em média cerca de R$12,00, no hotel , cerca de R$90,00 para o quarto individual e a maioria dos atrativos são gratuitos.

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  • Walber

    Quer conhecer mais sobre Cataguases(MG)? Acesse: http://wonetoconsultor. wix. com/ agenda-economica#!cataguases/ctgd