http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

O post de hoje encerra a aventura vivida na Turquia. E para fechar com chave de ouro, contarei um pouco sobre as belezas e bizarrices de Istambul. A cidade que encanta tantos turistas é realmente uma pérola, porque envolve diversos aspectos interessantes e históricos e é dividida entre os continentes asiático e europeu. Vários acontecimentos que aprendemos desde o 1º grau, e que estando no local, tudo fica mais claro e interessante. Histórias sobre o império bizantino, otomano, influências católicas e muçulmanas… Enfim, é o que eu acredito ser uma espécie de miscelânea cultural.

Istambul

Mas como nem tudo são flores, também vou declarar alguns dos muitos perrengues que passei. Já começando no primeiro dia. Após uma viagem cansativa de Paris à Istambul, à noite, por conta de um atraso no vôo, pegamos (meu marido e eu) um taxi e fomos até o hostel que ele reservou. Tudo bem até aí. Só que o recepcionista veio à porta, com um olhar um pouco assustado e pergunta se tínhamos reserva. Meu marido disse que sim, e mostro-lhe o comprovante datando 30 de maio. O problema foi que estávamos em 30 DE ABRIL. Resultado. O hostel já estava lotado e fomos para em um hotel sugerido pelo taxista, no centro da cidade, que por sinal era bem estranho. Dormi ao som techno-turco e no dia seguinte tive que gastar todo o meu inglês para convencer o cara do hostel a me devolver o dinheiro. Ai, ai. Com essa, quase que a lua-de-mel acaba. rsrrs
Bem, voltando às atrações turísticas, é muito lindo admirar o ambiente bem eclético de uma cidade que abriga diversas culturas e aparentemente com bastante harmonia. Em Sultanahmet, a mesquita azul é imponente, linda e enorme. É possível entrar, fora do horário das congregações diárias. Por dentro, além do terrível cheiro de chulé, por conta do carpete úmido e dos pés descalços que invadem a mesquita, é interessante notar que as mulheres ficam destacadas dos homens, não há cadeiras ou bancos, pois todos tem um carpetinho para se ajoelhar no chão e há um pequeno altar virado em direção à Meca para que todos possam se localizar e rezar para o lado certo. Como parte do complexo da Mesquita Azul, também é legal visitar a tumba do sultão Ahmet I, do século XV.
Em frente à Mesquita Azul, há o impressionante museu Santa Sophia, construída em 537 depois de Cristo. Impressionante porque o mesmo virou museu depois de ter sido, a princípio, um templo bizantino que foi invadido pelos muçulmanos e que hoje mantém características de ambos, juntas. Somente lá é possível tirar uma foto da imagem da virgem Maria pintada no altar com escritos muçulmanos de Alá e Maomé, logo ao lado.
Hagia Sophia
Interior Santa Sophia
Outro ponto bem legal da cidade é a cisterna, datada de 532. Pode parecer um tanto quanto bizarro, visitar uma cisterna, mas é verdade. Ela é muito visitada porque além de ser incrivelmente grande, para abastecer toda a cidade durante anos, ela também hospeda duas enormes cabeças de meduza em suas colunas. O mais estranho é que uma fica de lado e a outra de cabeça para baixo. O porquê disso, ninguém sabe ao certo.

Istambul     Istambul

Fomos também ao Palácio Topkapi. Maravilhoso! O palácio foi construído entre 1459 e 1465, logo após a conquista de Constantinopla, por Mehmet II e foi residência de sultões por mais de 400 anos. Hoje é um museu que abriga objetos super valiosos e de grande importância histórica como tronos revestidos com pedras preciosas, vestimentas da época, conjuntos de porcelanas japonesas e chinesas, e pasmem até mesmo o cajado de Moisés.
Istambul     Istambul
Mas o que Istambul tem de mais bizarro, talvez seja o “Grand Bazaar” – Grande Bazar. Construído em 1453, o bazar que mais parece um labirinto, deve sua beleza à arquitetura bem preservada e às mercadorias bem trabalhadas e luxuosas. Neste lugar, a arte de negociar é levada muito a sério, portanto tome cuidado. Os preços, em geral, começam altos, mas você deve barganhar sempre. Caso contrário, eles podem até considerar uma ofensa. Não toque em nada que você não vá levar, pois para eles, você terá que comprar tudo no que tocar ou perguntar o preço. Foi assim, que achei que fosse ser esfaqueada por um vendedor. Sem exageros. Fomos expulsos aos berros de uma loja por não termos comprado um produto. Fiquei um pouco traumatizada na hora, mas depois voltei a comprar. Só que com mais cautela, srsrsrsr. Vale visitar também a ponte que liga as partes asiática e européia de Istambul, dá pra ir de trem, saindo de Sultanahmet.
Istambul     Istambul
Informações importantes
Tempo de permanência: De três a cinco dias. Muitas atrações e é um lugar muito agradável.
Clima: Frio, porém nada congelante. Um bom casaco resolve em tempos de primavera e outono.
Compras: Barganhe sempre e evite tocar nas mercadorias. Comprar nos arredores do Grand Bazaar pode ser mais barato.
Vestimentas: Algumas mesquitas só permitem a entrada de mulheres com um lenço cobrindo a cabeça e os ombros. Geralmente, eles emprestam gratuitamente na própria mesquita.
Documentos: Brasileiros não precisam nem de visto, nem de vacina.
Moeda: Nova Lira turca. Vale aproximadamente R$1,20.

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...