http://www.viagememcena.com/wp-content/uploads/2012/02/viagem-em-cena-logo.jpg

Um barzinho agitado, restaurantes movimentados, conversas animadas nas ruas gélidas de Queenstown. Um retrato da temporada de eski que acabava de começar na cidade. Esse cenário em nada se parecia com o que vimos nas outras regiões por que passamos em nossa viagem. A Nova Zelândia, de modo geral, é bem tranquila e calma. Sem muitos badalos. Mas, apesar de não se encaixar nessas características, Queenstown também comporta alguns lugares românticos e pacatos. Digamos que ela consegue agradar a gregos e troianos sem perder seu charme.

Queenstown

Queenstown

Queenstown

No inverno, de junho a agosto, a cidade fica bastante cheia. Tanto turistas, quanto moradores das proximidades visitam o local em busca, principalmente, das pistas eski. E, por isso, não é nem um pouco difícil avistar pessoas com seus equipamentos esportivos e seus casacos super aparelhados pelas ruas. Porém, não foi essa a nossa motivação para conhecer Queenstown. Estávamos em busca das belas paisagens, dos esportes radicais e dos restaurantes e bares descolados. E encontramos.

Queenstown fica localizada bem ao sul da ilha sul da Nova Zelândia. Por essa razão costuma ter temperaturas bem baixas. Quanto mais ao sul íamos viajando, mais frio passávamos. Só que o frio intenso não roubou a cena. Logo ao chegar, a paisagem já nos impressionou. A cidade é cortada pelo imenso lago Wakatipu, alvo de muitas fotos e de onde saem diversos passeios de jet-ski e seus derivados.

Queenstown

Queenstown

Queenstown

Atrações

Para apreciar a cidade do alto, visite o Skyline, logo no centro. O local é um complexo que oferece passeios de gôndola até o topo da montanha, além de um restaurante panorâmico e o Luge, que é uma brincadeira para crianças e adultos. Uma descida de carrinho bem rápida pelas pistas montadas na montanha. O ambiente, apesar de bem cheio, é romântico. Não tem como não gostar do visual do Skyline, maravilhoso.

Skyline

Restaurante Skyline

Skyline Luge

Skyline Luge

Para curtir a alma da cidade, aproveite a região central e seus vários restaurantes e bares. A vida noturna é bem agitada e muito divertida. Mas, prepare o bolso. Como toda a Nova Zelândia, comer e beber bem pode acarretar grandes desfalques à sua conta bancária.

Restaurante The Find

Restaurante The Find

E dificilmente você resistirá aos esportes radicais. Queenstown oferece diversos locais para as práticas de bungee jumping e swing bungee jumping. O primeiro é o tradicional salto em que o corajoso é preso por uma corda amarrada nos tornozelos ou na cintura. O segundo é como um bungee jumping que balança, você fica indo de um lado para o outro até a corda se estabilizar. Como achei esse mais tenso, escolhi ele mesmo. E lá fui eu, com o salto de cabeça para baixo curtir um dos lindos visuais da Nova Zelândia. Conto melhor sobre essa aventura em outro post, mas já digo que é muito bom. Para ver, clique aqui.

Shotover Canyon Swing Queenstown

Shotover Canyon Swing

Só que dá para estimular sua adrenalina também em outras atividades que não incluam saltar loucamente de um precipício ou ponte. Há também o passeio no rio de Jet boating em alta velocidade, trilhas que podem ser percorridas de moutain bike e as próprias pistas de eski e snowboard, bem famosas na região.

Queenstown também é ponto de partida de vários passeios de um dia, inclusive para uma das melhores atrações de toda a Nova Zelândia, Milford Sound. Então reserve, pelo menos, uns quatro dias pela cidade para aproveitar o que ela tem de melhor a oferecer.

Queenstown

Queenstown

Dica quente

O que, a princípio, pode parecer um simples biscoitinho inocente, na verdade é uma das maiores delícias ever. O Cookie Time é uma marca de cookies da melhor qualidade e de vários sabores. Tem em várias cidades da Nova Zelândia, mas foi em Queenstown que eu descobri uma lojinha só com esses maravilhosos cookies. E ainda na versão quentinha, saindo do forno. Ai que maldade!

Onde ficar

Conseguir um hotel em Queenstown não é tão fácil. É preciso pesquisar bastante e reservar com antecedência, pois é arriscado você ficar sem ou então pagar bem caro. Prefira a região central para não precisar pegar ônibus, lembro que a linha que nós usávamos demorava bastante.

Optamos por reservar, pela primeira vez, um quarto pelo Air BnB. Para quem não conhece, essa empresa disponibiliza casas e apartamentos inteiros ou somente quartos das residências de moradores locais para reservas. Em geral, os valores compensam bastante. Ficamos em uma casa muito bem localizada (Fernhill) de uma moça chamada Verônica, que nos recebeu muito bem. O quarto era bem confortável, com TV e aquecedor.

 

Viciada assumida em viagens. Turismóloga, especialista em Jornalismo Cultural e doutoranda em Comunicação. Em suas andanças, sempre busca conhecer as diversas culturas e se encantar com os mais belos cenários.

Facebook Twitter  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...